varejoOs consumidores estão dispostos a confiar a varejistas suas informações pessoais em troca de um atendimento ao cliente mais pessoal revela o estudo Cisco Customer Experience Report, revelado nesta ultima semana. O levantamento constata que a privacidade dos dados não é fator relevante no relacionamento com o varejo. Tanto é assim que quase metade (49%) dos consumidores se sente à vontade com varejistas coletando informações pessoais quando fazem compras on-line em troca de recomendações e serviços ao cliente mais personalizados. Aqui, esse percentual é ainda maior e chega a 60%.

O estudo também constata que:

– Mais da metade (58% no mundo e 66% no Brasil) dos consumidores está disposta a compartilhar suas medidas e tamanhos de roupas com seu varejista em troca de recomendações mais personalizadas em compras futuras.

 – Muitos consumidores (39% no mundo, sendo 54% no Brasil) revelariam sua renda pessoal em troca de um serviço mais personalizado, ofertas e promoções de vendas.

 – Mais da metade (54% no mundo e 59% no Brasil) dos consumidores disse aceitar que os varejistas armazenem seu histórico de compras em troca de um serviço mais personalizado.

 – Compartilhar dados pessoais com fabricantes: 55% dos consumidores brasileiros (35% no mundo) aceitam ou não se importam que os varejistas compartilhem informações pessoais sobre eles com vendedores em troca de serviços mais personalizados, com apenas 17% dos brasileiros (sendo 46% no mundo) afirmando serem seletivos sobre para quais sites de varejo fornecem informações pessoais.

O relatório diz ainda que a maioria dos clientes globais (61%, sendo 63% no Brasil) está aberta a comprar em uma loja self-service totalmente automatizada com máquinas de vendas e quiosques que ofereçam atendimento virtual ao consumidor. Além disso, ao concluir a compra, a maioria dos clientes no mundo (52%), prefere caixas de autoatendimento a fim de não ter de esperar na fila para fazerem suas compras, percentual que chega a 65% no Brasil.

Os consumidores mais jovens no mundo mostram mais aceitação para essa experiência de compra: 57% da Geração Y (idades entre 18 e 29) e 55% dos compradores da Geração X (idades entre 30 e 49) preferem caixa de autoatendimento, enquanto os baby boomers (50 anos ou mais) representam apenas 45%.

Leia Também:

Telefonia supera bancos e lidera ranking de fraudes no Brasil

Brasil pediu informações de 857 usuários ao Facebook

Brasil lidera envio de spam no mundo com 37% do total, diz estudo

No Brasil, quase 70% não protege smartphone de maneira adequada, diz estudo

Como proteger com senha suas compras no Google Play

Fonte: Cisco Brasil, Convergência Digital