Um em cada 120 smartphones está infectado por malware

As infecções em smartphones quase dobraram entre janeiro e julho em comparação ao segundo semestre de 2015, com os smartphones representando 78% de todas as infecções em redes móveis, revela o Relatório de Detecção de Ameaças, divulgado pela Nokia.

De acordo com o estudo, a taxa de infecção por malware chegou ao ponto mais alto de todos os tempos em abril, com a marca de 1,06% dos dispositivos móveis rastreados infectados. Além disso, constatou que os dispositivos baseados no sistema operacional Android foram os mais visados, representando 74% de todas as infecções móveis por malware.

As principais conclusões do Relatório de Detecção de Ameaças da Nokia incluem:

·96% de aumento de infecções em smartphones: A taxa média de infecção em smartphones aumentou 96% no primeiro semestre de 2016, comparada ao segundo semestre de 2015 (0.49% versus 0.25%).

·Novo recorde histórico: Em abril de 2016, as infecções móveis bateram o recorde histórico com 1,06% dos dispositivos infectados por uma variedade de malwares, incluindo rasomware, aplicativos de spyphone, trojans SMS, roubo de informações pessoais e adware.

·Um em cada 120 smartphones está infectado: Em abril, um em cada 120 smartphones teve algum tipo de infecção por malware.

·O sistema operacional Android é o mais atingido: O Android foi a plataforma móvel mais atingida, contabilizando 74% de todas a infecções por malware comparados ao sistema Windows/PC (22%) e outras plataformas, incluindo dispositivos iOS (4%).

·Amostras de malware aumentaram 75%: O número de aplicativos para Android infectados na base de dados de malware da Nokia subiu 75%, de 5,1 milhões em dezembro de 2015 para 8,9 milhões em julho de 2016.

·Infecções em jogos de celulares detectados em horas: Downloads de aplicativos são um canal-chave para ataques de malware. O Laboratório de Detecção de Ameaças da Nokia encontrou cópias infectadas de um jogo extremamente popular, horas depois que ele foi postado em sites não confiáveis para download.

·Malware mais sofisticados: Os malware estão cada vez mais sofisticados, com novas variações que tentam se firmar no telefone a fim de ter o completo controle e estabelecer presença permanente no dispositivo.

·Top três de ameaças móveis: As três principais ameaças móveis de malware foram Uapush.A, Kasandra.B e SMSTracker, que juntos somaram 47% de todas as infecções.

·Aumento das infecções em redes fixas residenciais: A taxa mensal de infecção em redes de banda larga fixa residenciais atingiu a média de 12% no primeiro semestre de 2016 comparada a 11% no final de 2015, principalmente devido ao aumento moderado do nível de ameaça adware. Estas infecções estão, na maioria das vezes, relacionadas a malware em PCs e laptops Windows em casa, mas também inclui infecções em smartphones usando a rede WiFi doméstica.

Os dados do Relatório de Detecção de Ameaças da Nokia são agregados a partir da implementação da solução NetGuard Endpoint Security em todo o mundo, cobrindo mais de 100 milhões de dispositivos, incluindo telefones móveis, laptops, notepads e dispositivos de Internet das Coisas.

Fontes: Convergencia Digital e Nokia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s