Google lança recurso que ajuda a checar veracidade de informações

Lançamento do “Fact check” coincide com a corrida presidencial dos EUA, momento em que aumenta o número de boatos na rede

O Google anunciou nessa semana um novo recurso que visa ajudar a checar a veracidade de informações na sua sessão de notícias.

Artigos no buscador Google News são categorizados para refletirem o tipo de conteúdo que revelam, por exemplo, artigos com o rótulo “opinião” e “altamente citado”. Agora, o serviço apresentará uma nova etiqueta, a “Fact  Check” para ajudar leitores a encontrarem notícias checadas.

“Nós estamos animados em ver o crescimento da comunidade Fact Check e jogar luz nos esforços para separar fatos de ficção”, escreveu Richard Gingras, chefe de notícias do Google, em post publicado no blog da companhia.

A nova tag aparecerá tanto nos boxes das notícias do Google News e no app  Google News & Weather.
FactCheck_Articles-box
Para entregar o novo serviço, o Google News determina se um artigo pode conter fatos checados em parte ao usar os algoritmos de um processo chamado Claim Review, procurando por marcadores do próprio site que indicam que aquele artigo verifica informações. Ao mesmo tempo busca por sites que “seguem critérios comumente aceitos para checagem dos fatos”.
Enquanto o Google não descreve explicitamente, deve haver alguma curadoria humana para determinar se certos sites seguem os tais “critérios comumente aceitos para checagem de fatos”. O Google não confirmou quantos sites checados foram incluídos no seu sistema, mas em seu post convida sites a se aplicarem.
Por enquanto, o Fact Check só se encontra disponível para usuários nos Estados Unidos e Reino Unido.
A história por trás da história
Não é nenhuma coincidência que a nova etiqueta é lançada primeiro nos EUA e Reino Unido. Ambos os países estão imersos em um debate público dividido. As eleições presidenciais nos Estados Unidos se tornaram palco para boatos e contradições. Enquanto isso, o Reino Unido se encontra em um debate caloroso após a votação para o Brexit e uma política anti-imigração em ascensão.
E fora isso, a seção de Trending News do Facebook tem se tornado cada vez mais o centro para notícias falsas. Como observa o The Washington Post, desde que a rede social demitiu seus editores de notícias, conteúdos incluindo paródias, teorias de conspiração e boatos aumentam no feed de notícias.

Fonte: IDG NOW!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s