Segurança cibernética se tornará mais preditiva em 2017, diz estudo

Apesar da inovação contínua da segurança cibernética, grande parte do esforço continua sendo reativo, por isso ela deve se tornar preditiva, prevê a Dimension Data.

O cibercrime é um grande negócio. Nos últimos anos, os cibercriminosos têm reinvestido grande parte dos ganhos mal adquiridos no desenvolvimento de recursos mais sofisticados, usando tecnologias mais avançadas. Apesar da inovação contínua no setor de segurança cibernética, grande parte do esforço continua sendo reativo. Por isso, a segurança cibernética irá se tornar mais preditiva, em vez de proativa.

Esta é uma das principais previsões para 2017 feitas pela Dimension Data, fornecedora global de soluções e serviços de TIC. Na avaliação da empresa, o foco no ambiente digital continuará a grande tendência do setor nos próximos 12 meses.

O diretor de tecnologia da Dimension Data, Ettienne Reinecke, diz que o propósito do setor digital é construir modelos de negócios verdadeiramente centralizados no cliente de TI, incluindo a rede, centro de dados, aplicativos e outras infraestruturas, que podem ser locais ou na nuvem. Ele cita a posse e o acesso a dados ─ e a metadados ─ como um elemento importante. “No ano que vem, o controle e a apropriação de dados e metadados irão emergir como um ponto de discussão e, de fato, de contenção.

“Isso ocorre porque os dados e metadados permitem às organizações extraírem ricos insights sobre o comportamento do cliente. Além disso, os metadados permitem que as organizações identifiquem padrões comportamentais específicos, derivem inteligências de negócios e tomem decisões informadas”, explicou Reinecke.

O estudo da empresa chama atenção para o fato de uma nova geração estar começando a aparecer no trabalho, e não são os “millennials” ou mesmo a geração Z: são as máquinas. “Não demorará muito para que a holografia, a realidade aumentada e a realidade virtual comecem a passar do B2C para o B2B. Além disso, nos próximos dois a três anos, essas tecnologias irão gerar uma transformação fundamental do espaço de trabalho”, diz o documento.

Para a Dimension Data, a IoT vai cumprir a promessa de big data. Os projetos de big data passam, cada vez mais, por várias atualizações durante um único ano ─ e a Internet das Coisas (IoT) é, em grande parte, a razão disso. Esse fato ocorre, na avaliação da empresa, porque a IoT possibilita a análise de padrões específicos que geram resultados de negócios específicos e, cada vez mais, isso deve ser feito em tempo real. Isso irá motivar um investimento mais saudável e um retorno mais rápido em projetos de big data.

Outra tendência é a tecnologia de container como nova disruptora no data center e importante facilitadora para a TI híbrida. “Em 2017, vamos ver uma adoção mais generalizada de ‘containers’, mas a transição para um mundo totalmente em contêineres ainda levará alguns anos. Além disso, vamos ver a crescente adoção da virtualização de funções de rede (NFV), quando existirem redes habilitadas para a nuvem, e novas redes sendo arquitetadas com as nuvens híbridas em mente”, diz o estudo.

Fonte: ComputerWorld

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s